ZIKA-VIRUS, Importância de fazer o Exame.

Recentemente o Ministério da saúde confirmou a relação entre a infecção por zika vírus e o aumento de casos de microcefalia, e isso causou certa apreensão na população e um aumento na procura, principalmente as mulheres grávidas e aquelas que desejam engravidar, por exames laboratoriais para identificar se estão com o vírus ou já foram infectadas alguma vez ao longo da vida. É que uma vez infectado pelo zika, o paciente desenvolve anticorpo e torna-se imune à doença. Veja exames disponíveis e quando realizar cada teste.

O Zika vírus é uma espécie de vírus da família Flaviviridae e do gênero Flavivirus. Em humanos, ele causa a doença conhecida como febre Zika. É da mesma família dos vírus que provocam a dengue e a febre amarela, tendo sido identificado pela primeira vez no Brasil recentemente, no estado da Bahia, provavelmente trazido por turistas que frequentaram a Copa do Mundo em 2014. Vários casos ocorreram até que os pesquisadores Gúbio Soares e Silvia Sardi, do Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA), conseguiram identificar que o causador era o zika vírus encontrados em amostras de sangue de pacientes.

Zika Vírus ou Febre Zika, transmitido pelo Aedes Aegypt, o mesmo mosquito que causa o contágio da febre amarela, febre chikungunya e a dengue. Os sintomas se parecem com os das doenças citadas, apenas mais brandos, com febre por volta de 38 graus, dor de cabeça, náuseas, diarreia, dor no corpo e nas articulações.

Recentemente surgiram fortes suspeitas que a doença possa ser transmitida não só pelo inseto, também por transmissão sexual (relato),transmissão pelo líquido amniótico, leite materno (estudo) e transfusão de sangue, as formas carecem de novos estudos, as chances de que esses tipos de contaminações aconteçam, ainda não se sabe.

A erupção cutânea o exantema, com coceira intensa pode tomar o rosto, o tronco e os membros e atingir a palma das mãos e a planta dos pés. Fotofobia e conjuntivite são outros sinais da infecção pelo Zika virus. Em alguns dias, o organismo se encarrega de combater o vírus, que desaparece.

Zika vírus e os casos de microcefalia

A mortalidade relatada por Zika é muito rara e a doença não deixe sequelas, é considerada de menor morbidade que a Dengue, foi confirmado recentemente, a associação causal de infecção pelo Zika com a microcefalia, que é uma má formação fetal, os bebês nascem com perímetro cefálico (PC) menor que o normal, que habitualmente é superior a 33 cm. Até o fim do mês de novembro, ja se contabilizavam 311 casos confirmados de microcefalia e mais de 1200 notificados, em especial na região nordeste do país, que concentra mais de 90% dos casos.

Exames para detectar zika vírus

Atualmente, o vírus Zika é diagnosticado através da técnica de PCR e do isolamento do vírus em amostras de sangue. O diagnóstico por sorologia estava até então indisponível. Além disso, o vírus Zika pode ter uma reação cruzada com outros flavivírus, como o da dengue, febre do Nilo Ocidental e febre amarela.

O médico deve ser consultado para avaliação clínica dos sintomas acima descritos. O profissional médico também é capaz de avaliar a área de risco ao qual o paciente se expôs. Ele poderá solicitar exames de sangue para determinação dos vírus Dengue, Chikungunya, outros arbovírus e, agora, Zika.

A Smartlabis Diagnósticos Inteligentes oferece o exame:

Zika-Vírus IgM – Coleta Gratuita na cidade de São Paulo

Para efetuar a detecção do vírus ainda no estágio infectante.
Possuí dúvidas, tem interesse em efetuar o exame? Entre em contato aqui.

 

A Organização Mundial da Saúde solicita que Brasil e os outros países implementem sistemas de diagnóstico da doença, e que se preparem para o aumento no número de casos, reforçando o atendimento pré-natal e neurológico. O comunicado da OMS reconheceu oficialmente pela primeira vez a relação entre o zika vírus e os casos de microcefalia ao mencionar o estudo brasileiro realizado pelo Instituto Evandro Chagas.

Ainda não está plenamente confirmado se a imunidade é por toda a vida depois de ter a doença. Mas, pelo menos é certo que a pessoa vai se manter imune por um bom tempo.

Não existe vacina contra a doença, que é de notificação compulsória.

A única forma de prevenção é combater os focos do mosquito Aedes, que ataca principalmente nos períodos de muito calor e chuva, pela manhã e ao entardecer.

Via @Plugbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *